quinta-feira, 11 de abril de 2013

Ilhéu das rolas – São Tomé e Príncipe



Ao largo de África, há um arquipélago de sorrisos e de bem-estar. Apaixone-se pela natureza em São Tomé.
À medida que o barco avança, ganga forma a semelhança com a jibóia desenhada pelo Principezinho de Antoine de Saint-Exupéry. É assim que parece ao longe o recorte do ilhéu das Rolas, a barriga da enorme jibóia com um elefante acabado de engolir. Podia ser um chapéu, como todos teimavam em dizer no livro, mas não, esta é apenas uma semelhança com a ficção.
A realidade é outra, é a de um pequeno paraíso, um dos recantos mais procurados do arquipélago de São Tomé e Príncipe. A aventura e a sensação de evasão começa com a viagem desde o aeroporto até ao cais de embarque para as rolas. Duas horas bem medidas – com pausas esperadas e inesperadas pelo meio – através de uma escada sinuosa onde a vegetação ganha terreno ao alcatrão.

Autocarro, pick up ou jipe são algumas das opções antes de se chegar ao barco que transporta clientes e funcionários até ao ilhéu. As toalhas refrescantes, as bebidas frescas e os sorrisos são a melhor forma de receber quem chega.
Há uma ilha inteira à nossa espera, com miradouros, praias, trilhos para caminhadas, noites de diversão, refeições tradicionais e tranquilidade. Acima de tudo, é isso que vai encontrar no ilhéu das Tolas: o sossego que há tanto tempo procura. Deixe-se ficar na espreguiçadeira junto à piscina sobre o areal ou invista algum do seu tempo andando a volta da ilha.Os sempre simpáticos funcionários do resort serão os seus guias neste passeio de cerca de três horas onde não falta a passagem pelo marco da linha do equador. Ponha um pé de cada lado do mundo, faça a fotografia da praxe, aprecie a vista sobre a ilha e sobre o resort e continue a caminhada porque ainda vai haver muito para ver.
Nas praias dos Pescadores ou do Café, até poderá ficar a conhecer um pouco melhor a realidade santomense. Para isso basta que aceite o convite para um almoço típico junto ao mar, com direito a peixe assado fruta-pão e histórias que não vêm nos guias turísticos. É simples, entre em contacto com os habitantes locais e por cerca de 10 euros terá a festa feita. Um mergulho aqui e outro acolá, mais meia hora de sol e outra de boa conversa e terá um dia em cheio. Ou a clara sensação daquelas férias que sempre quis ter.

0 comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...